segunda-feira, 30 de abril de 2012

Solidões compartilhadas: O poema invertido de Juliana Guida Maia



Hoje, no Dia Nacional da Mulher, compartilho minhas solidões poéticas mais uma vez com a genial poeta Juliana Guida Maia (musa especial pra meus eus líricos e pra meu eu eu mesmo). Fã-nática por Engenheiros do Hawaíi, dona de um lirismo ousado e camaleônico, vencedora de diversos concursos poéticos, a poeta valenciana Juliana Guida Maia vira a nós, leitores e amantes, de ponta a cabeça com seu poema invertido sobre o sentimento-delírio-exatainexatidão chamado amor.

Poema invertido
(ou um olhar apaixonado)

Uma estrela nas pedras da calçada
Para cada passo de tuas mãos
Minha boca te vê
E meus olhos te beijam
Parece que teus braços caminham na contramão
Corro pra trás quando te vejo
O cheiro nas minhas orelhas é forte e de flores
Tuas pernas na minha cabeça
Meu nariz escuta a voz
Que sai da tua saia
Teus sentimentos no meu sexo
Tuas nádegas no meu coração
Do avesso te vejo por fora
Por dentro vejo teu olhar
Meus sentidos pipocam
Pra lá e pra cá
Gritos nas pontas dos dedos
Só pode ser amor
Tamanha inversão.

2 comentários:

  1. Juliana do céu, que inversão deliciosa de ler. Fiquei a imaginar e desejar que todos os eus se fundam e engendrem um euzinho rsrsrsrsr - acho que agora eu sou o cachorro-cupido
    OHHHHHHHHHHHH! Não se ofenda por favor(sou muito mulherzinha)

    ResponderExcluir
  2. Confira os novos widgets do TOAKY.net

    Um bom dia!


    www.toaky.net

    ResponderExcluir