terça-feira, 24 de abril de 2012

Solidões Compartilhadas: As mil faces de Nana B. Poetisa


Hoje compartilho minhas solidões poéticas com a poetamiga carioca Nana B. Poetisa, escritora de extremo e intenso talento que conheci em minhas andanças internéticas pelas redes sociais virtuais. É autora de diversos blogs, cada um com uma faceta diferente da mesma poeta (aqui envio o link de dois deles: “O Covil da Deusa Vampira” [http://covildadeusavampira.blogspot.com.br/] e “Literatura...Minha Vida!®” [http://nanabpoetisa.blogspot.com.br/]), já publicou diversos livros e participa de várias antologias. 
Guerreira, Valquíria, Samurai, Mocinha, Vampira, Bailarina, Artesã... Nana B. apresenta ao leitor mil faces de uma mesma mulher. Para compartilhar minha solidões poéticas com uma artista tão múltipla, trago aos leitores duas faces dessa grande poeta: a Deusa Vampira, com o sombrio e sensual poema “Viúva Negra”, e a Samurai, com o “Poem trailer - Eiyo...Honra & Sagrada Guerreira Samurai”.  Bem-vindos, amigos leitores, ao universo múltiplo e infinito de Nana B. Poetisa:   

Viúva Negra

Bela noite se eleva nos céus, de prateado luar,
a enriquecer o brilho fulgurante dos astros.

A coadjuvar minha beleza eterna, o  sabor do proibido nos teus olhos assustados e sedentos, me atraem sobremaneira.

Venha, deite no meu regaço morno e perfumado, meu  adorado mortal.
Não tema o amanhã. Pois, esta noite pertences a mim.

Sinta minha pele aveludada roçando a tua, o sabor de meus lábios entontecendo teus sentidos.

Em meu leito de negras e etéreas cortinas, dádivas de Afrodite renderei a ti, cobrindo-te de regalos luxuriosos.

Vou chegar tão perto, que vais sentir meu perfume penetrando em sua alma.

Tão perto, que o calor do meu corpo fará ferver o teu sangue!

Renega teu passado que assombrava teus dias,
perdido na solidão do desamor e do nada ser.

Entrega-te em meu seio imortal, deixe a razão para trás...
mergulhe no lago negro de doces venturas, que meu ventre te oferece.

Adormeça.



Um comentário: