sábado, 21 de abril de 2012

Solidões Coletivas in Bar: O primeiro engradado


Em homenagem ao Sarau Solidões Coletivas in Bar, cuja primeira edição realizaremos hoje, dia 21 de abril, no Open Bar (ex-Bar do Juquinha), às 17 h, no bairro Benfica, em Valença/RJ, posto hoje a primeira de três partes do poema “Alcoólatra”, a ser publicado em meu próximo livro “Foda-se e outras palavras poéticas”, que, possivelmente, será publicado ainda neste ano. No dia de inconfidências frustradas, enforcamos nossas ilusões com álcool e lirismo:

Primeiro engradado
Prelúdio de embriaguez
(Rimo festivo)

Uma dose a mais
Para mais um coração vazio...
Uma bebida gelada
Para me aquecer do frio...
Bobo demais, bebo demais
Sorrindo sozinho...
Nessa noite enluarada
Abraçado à garrafa desse estranho vinho...
Ilusão fermentada
Em doses cavalares para mim - do mato, um bicho...
Incapaz de palavras sensatas
Anestesiado, sou poeta que não finjo...
Mais uma farsa inexata
Sou fortaleza armada que só me atinjo...
Uma dose a mais
Para mais um tolo capricho...
Uma festa insensata
Para um folião deprimido...

Nenhum comentário:

Postar um comentário