domingo, 29 de abril de 2012

Poema em descompasso: Dança embriagada

Hoje é o Dia Internacional da Dança! Em homenagem a minha completa falta de balanço, posto hoje um poema mal dançado, uma dança embriagada, inspirada na "A valsa", do poeta ultra-romântico Casimiro de Abreu, publicada em meu quinto livro "Eu e outras Províncias" (2008). Pra ser lido ao som de "Eu não sei dançar", de Marina Lima:







Dança embriagada
(Valsa moderna, Hi-fi ou 
o ritmo piegas e ébrio do amor)

                        Um, dois, três...
                        O relógio
                        Na parede
                        Flutuando
                        Sala escura
                        Tudo escuro
                        Essa música
                        Esse vinho
                        Vem comigo...
                        Me acompanha...
                        Um, dois, três...
                        Vem amiga
                        Deixa vir
                        Um amor

            Passo a passo
            Largo o copo
            Mancho a roupa
            Com seu líquido
            Vinho doce
            Tinto, sangue
            Estou bêbado
            Ou perdido
            Bem perdido
            Nós estamos
            Sós ... Um, dois...
            Matemática
            Corporal
            Vem ser minha
            Um minuto
            Talvez dois
            Vem somar...

Descompasso
Nos teus braços
Um sorriso
Coração
- qual a música?
Está dentro
Deixa estar
Dentro, dentro
Entre os corpos
Movimento, e-
Terno nó

            Rostos próximos
            Movimento
            Passo a passo
            Descompasso
            Sempre próximos
            Sempre lentos
            Sempre ardendo
            Teus sussurros
            Meu silêncio
            Um... sorriso...
            Um... momento...
            Se não falo...
            Corpo, fale!
                        Transmita meus sentimentos...

                        Precipício!...
                        Me desculpa!
                        Tropecei...
                        Distraí...
                        Deixei vir
                        Sentimentos
                        Mas não deixas
                        Vens amiga
                        Pensamento
                        Cessa a música
                        Seca o vinho
                        Nem consigo a-
                        Companhar
                        Vais amiga
                        Deixo vir
                        Uma dor

Tempo curto
Corta a noite
(nós estamos
sós e longe)
Curta noite
Curta como
A canção.

3 comentários:

  1. Lindo e obrigada pela informação, não sabia que hoje era o dia Mundial da Dança. Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso!!! Hilariante!!!
    É um ritmo poético delicioso de dançar!

    ResponderExcluir
  3. rsrsrs, muito bom Carlos, será que existe uma valsa para os não dançantes?

    a velocidade das estrofes e dos versos curtos me deu a impressão de cenas de um filme mudo, tipo Chaplin.

    ResponderExcluir