Seguidores

sábado, 24 de março de 2012

Arcadismo Teen: Semeando Poesia no Campo dos Sonhos


Filme realizado a partir de poemas produzidos pelos alunos do 8.º Ano (atual 9.º Ano) da E. M. Alcino Francisco da Silva, inspirados na aula sobre Arcadismo, projetada por mim nas aulas de Português do ano passado. As filmagens foram realizadas no cenário bucólico de Água Quente, distrito de Teresópolis/RJ, em 2011, e só agora são reveladas, pois alguns dos poemas declamados estavam concorrendo no Concurso Nacional de Poesias da ALAP, no Rio de Janeiro/RJ, e não poderiam perder o ineditismo até que fosse divulgado o resultado da disputa poética - por sinal, alguns desses textos foram premiados no concurso citado.
O projeto, realizado por mim, em parceria com os professores de História, objetivou, a partir do estudo do movimento iluminista na Europa, divulgar o movimento poético árcade brasileiro; gerar, entre os alunos, uma reformulação desse estilo poético a partir de produção textual inspirada na realidade dos educandos; e conscientizar, poeticamente, o valor de seu próprio ambiente rural e natural.

3 comentários:

  1. Arcadismo atualizado!
    Que ideia brilhante, trazer o estilo árcade para um ambiente tão contemporâneo abstraindo-o de adolescentes. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Eita que professores pra lá de inspiradores. além das aulas poéticas, acrescente-se o filosoficamente peripatético de Sócrates. Um professor nos indagou a respeito do porque a Filosofia Ocidental como entendemos hoje, pode ser estruturada na Grécia. Mas ele mesmo respondeu, so podia ser pela beleza da natureza que os rodeava. O sol a nascer e a se por, os pingos da chuva a cair, as tempestades devastadoras, a fúria do mar, as flores dos jardins e das encostas das ilhas. como não querer entender o mundo e tentar ordena-lo a partir da cosmologia, da physis, da antropologia, da psicologia, da matemática e tantas outras ciencias que só nos ratifica a beleza a tantos milencios descrita por tantas civilizações antes de nós em nossa super contemporaneidade selvagem.

    o lugar é lindo com suas flores silvestres amerelas, com pedaços de morros cortados como se tivessem retirado parte deles com uma colher gigante,uma grande e deliciosa iguaria poetica; os alunos maravilhososamente antinatural por saber estar sendo filmados. e os cachinhos da aluna que recitou o primeiro poema, um espetáculo (lembrei das minhas duas camadas de cachinhos que minha tia fazia em meus cabelos kkkkk), se a felicidade esta lá fora, como diz o poema recitado Carlos, não deixe nunca de ensinar a esses pequenos seres que é preciso enxergar a felicidade em tudo. ela é algo mediado pela nossa consciencia de mundo e de nós mesmos.

    Parabéns meu querido amigo.

    ResponderExcluir