segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Um mantra cheio de microfonia para Kurt Cobain


Hoje Kurt Cobain faria 45 anos (agradeço ao Oba Shop por lembrar dessa data) e, a pedidos de Juliana Guida Maia, faço minha homenagem ao cantor, compositor e músico estadunidense, líder da banda Nirvana. Artista fascinante e polêmico, Kurt Cobain foi encontrado morto em sua casa em Seattle, vítima do que foi oficialmente considerado um suicídio por um tiro de espingarda na cabeça. Em sua homenagem, in memoriam, dedico minha paráfrase (criação poética baseada numa outra versão de um texto conhecido, porém com o mesmo discurso poético) à canção “Come as you are”. Na minha versão, a letra torna-se uma espécie de mantra pedindo o retorno do rebelde músico messias. Espero que gostem e cantem, como se fossemos uma só voz, o retorno da rebeldia assassinada:

Retorne de onde você estiver

Retorne de onde você estiver, como você sempre foi
Como eles nunca quiseram que você fosse, como um menino aos gritos
Como um menino aos gritos com armas de fogo que não matam

Retorne fora do seu tempo, desta vez sem pressa de ir embora
Mostre-nos outra opção na falta de escolha, nossos relógios atrasados
Acorde antes do tiro silenciador, menino das armas de fogo que às vezes matam

Retorne sem nenhuma lembrança da morte
Morte MORTE...

Retorne da lama de sangue ressecada
Com seus ouvidos ensurdecidos pelo estampido da bala
Como um menino com armas de brinquedo

Como uma canção gritada, como um tiro sem balas
Como um eterno riff de guitarra armada
Armada AMADA

E eu juro que ainda acredito nessa guitarra armada
Eu ainda acredito no novo grito dessa guitarra agora calada...

Guitarra guitarra guitarra (armada e calada)

E eu preciso que sole essa guitarra
Sim, eu preciso que você retorne, pois a guitarra está desarmada
Sim, eu preciso que você me toque com o toque da sua guitarra

Retorne retorne... 


2 comentários: