sábado, 7 de janeiro de 2012

Poemas ardentes: O mapa astral do diabo feliz

Verão, dias quentes, despertar de calores, posto hoje um poema ardente, publicado originalmente no meu quinto livro "Eu e outras Províncias" (2008):



O mapa astral do diabo feliz
(Sonho eroxótico)


Li no mapa astral do diabo da maçã
Que o meu futuro estaria na intimidade de teu corpo
E, mesmo no meio da neblina, eu ainda verei
A cigana das terceiras intenções sorrir
Ao prever que o vento do meu inverno
Será regado por chuvas quentes de verão
E nosso deus dormirá no céu de nossas bocas
Enquanto minha serpente rastejará no teu Éden.

Li no mapa astral da paixão ardente
Que o Cupido acertaria tuas partes íntimas
E, no infinito do outro lado do sono, encontrarei
O mais concreto dos sonhos
E os poetas proibidos cantarão livres
Em nossas cordas vocais.

- Quando a intimidade de teu corpo voltar
Ao calor de meus lençóis sem pudor
Eu terei a ti
Eu terei prazer!

Um comentário:

  1. Hahahahahahahahahaha, Amei o poema Carlos. "Que o meu futuro estaria na intimidade de teu corpo (...) Enquanto minha serpente rastejará no teu Éden." -->

    Segundo o Cristianismo todo o futuro dos homens se rompeu quando Adão sucumbiu aos sussuros encantatórios e a macia voz de Eva a dizer-lhe vem Adão, experimenta da árvore da sabedoria, vem e te deleitas nela. Adão desejou ardentemente nao apenas a sabedoria, mas desejou sobretudo (penso eu), rastejar a serpente até o Éden que se oferecia tão quente e pulsante, e eis que aqui estamos nós, descendencia direta do prazer adâmico.

    ResponderExcluir