quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Clipoema: Apenas um sonho numa noite de luar

Posto hoje um clipe do poema "Apenas um sonho numa noite de luar", de minha própria autoria. O poema, ainda inédito em livro e abaixo publicado no blog, foi premiado com Menção Honrosa no "Poetando VI", concurso poético de 2009 do Grêmio Barramansense de Letras (GREBAL). O vídeo conta com a participação da poeta Juliana Guida Maia, dividindo comigo as cenas e o diálogo-declamação poético.





Apenas um sonho numa noite de luar

“Deixa-me tocar-te como o céu, estrela carnal...”
“Peço-te apenas que sonhe, pobre mortal!”

Assim começou nossa noite de luar:
eu sem tocar o teu astro
e tu com a condição absoluta
de ser minha musa ideal...

“Por que, estrela de desejos e curvas?”
“Porque a noite é breve, sonhador das ruas.”

E assim continuou nossa noite de luar:
meu desejo negado,
teu astro intacto,
iluminando a distância minha e tua...

“De que adianta meus sentimentos
se não me contento, linda estrela noturna?”
“Vale a beleza da dor desse momento,
o meu brilho de contentamento, vadio admirador da lua.”

Então acabou nossa noite de luar:
eu sem conhecer a primeira pessoa do plural
e tu a recolher as plumas de teu imponente carnaval,
aumentando para o infinito a nossa absurda distância,
deixando cada vez mais nua
a minha solidão.



Um comentário:

  1. Carlos, ficou lindo o vídeo. a música bacana, as imagens coincidindo com os versos, agora, alem de poeta, és também diretor de vídeos. "astro intacto" é divino, ou melhor, "erosatélico", rsrsrsr.

    ResponderExcluir