terça-feira, 4 de outubro de 2011

Solidões compartilhadas: “Um dia só”, de Diana Paim


Hoje, Dia Mundial da Natureza, quem compartilha a sua solidão é a jovem atriz e escritora Diana Paim, de 14 anos. Descobri o talento desta promissora artista neste ano, quando ela desenvolveu a arte da escrita nas minhas aulas de Português para os alunos do 8.º Ano da E. M. Alcino Francisco da Silva, em Teresópolis. O texto abaixo é a segunda crônica da escritora, obra de muita personalidade, senso de observação aguçada e primorosa sensibilidade:

Um dia só

            Um dia eu estava sentada no ponto de ônibus perto da minha escola e fiquei reparando tudo que havia em volta, das pessoas até a natureza que me cercava.
            Vi um simples homem vendendo trufas, balas e doces no meio da subida para a escola; ele parecia entediado, segurando-se em um tronco morto, que, ainda assim, estava ali. Um pouco mais abaixo vi um grupo de garotos na escada reunidos e conversando. Logo depois, vi um grupo de crianças indo para a escola a pé. Então pensei: quantas pessoas simples e desligadas passam, enquanto a natureza está ali toda poluída. Mas ainda assim ela continua a mostrar sua beleza e a nos dar oxigênio. Porque nós somos assim: a natureza nos dá de tudo e nós não damos nada em troca. Até quando?

            Meu ônibus chega e finalizo minha segunda crônica.

Um comentário:

  1. Além de talentosa ela é muito simpática e alto astral, um amor de menina! Gostei demais de conhecê-la!

    ResponderExcluir