domingo, 25 de setembro de 2011

Delírios poéticos acerca dos 20 anos de Nevermind


Ontem, fez 20 anos que o rock não chega ao estado máximo do Nirvana. Após certo tempo, diante dos humanos bebês que continuavam se atirando tolamente em busca do dinheiro-isca da cidade-armadilha Nevermind, o líder conhecedor do estado máximo do nirvana-espetáculo decidiu atirar contra si mesmo, romper-se diante do rompimento do mundo-sonho. Com medo de que lhe apagassem a chama, o jovem menino drogado de mil histórias de falsos passados matou o adulto que ameaçava tornar-se um bebê fisgado pelos dólares ordinários do reality-showbusiness-nevermind.
Hoje o Nevermind ideal, que denuncia as armadilhas da nevermind-impura-humana, concebido pelo mestre da distorção harmônica de Nirvana, é relembrado por todos os mortais como uma saudade eterna, impossível de ser revista no mundo-pop-de-trevas-coloridas da atualidade. Jovem drogado da maldição dos 27 anos, sua Nevermind continua intacta, a chama jamais será apagada!  

Um comentário:

  1. Kurt Cobain foi um gênio que se foi e deixou saudade, mAis a sua maior genialidade o Nevermind jamais será esquecido por quem conhece realmente o que rock... não! por quem conhece música.

    ResponderExcluir