sábado, 13 de agosto de 2011

Solidões compartilhadas: "Flash", de Beatriz Oliveira

Hoje a solidão coletiva é compartilhada pela por Beatriz Oliveira, que me enviou um poema sobre a eternidade das fugazes belezas que contemplamos. Com vocês, o poema "Flash", da genial poeta Beatriz Oliveira:


“Flash”

Na tarde de abril
Ela é tudo e nada.
Presa ao esguio caule
Inclinada e solta
Desafia o medo
Expondo sua beleza vegetal.

Tento captá-la  num limitado olhar
Mecanizo os olhos
O “flash” explode.

Uma leve brisa
Uma borboleta azul
Eis que ela tomba
Desfalece em pétalas
Ante meu extasiado olhar.

Restará o “Flash”

Nenhum comentário:

Postar um comentário