sexta-feira, 29 de julho de 2011

Verse essa canção: Quando a música toca e o poeta retoca

Nosso "Impossível"*




Tudo bem
Quando termina bem

Os seus olhos
E os seus olhos
Não estão rasos d'água
Mas eu sei que no coração
Ficaram muitas palavras
Um vocabulário inteiro
De ilusão...

Imagino você chegando, após algum tempo, com os olhos falsamente secos, dizendo-me em silêncio que está bem. E a verei sorrir como um louco ri de uma piada inaudível, como um tolo espera o espetáculo do palhaço inexistente. E seu sorriso rasgará em lágrimas invisíveis.


Tudo que viceja
Também pode agonizar
E perder seu brilho
Em poucas semanas
E não podemos evitar
Que a vida trabalhe
Com o seu relógio invisível
Tirando o tempo de tudo
Que é perecível...

O relógio exibirá os seus ponteiros lentos, determinando o tempo ágil e feroz. A vida, que não para, estampará em seus olhos as marcas das perdas que não passam. E o que ontem parecia tão vivo novamente estará perdido... pra sempre!

Oh, oh, oh!
É impossível, é impossível
Esquecer você
É impossível
Esquecer o que vivi
É impossível
Esquecer, o que senti...

Sim, ele está em você, que finge sorrir. Olhe, ele está passando do seu lado, está brincando nos braços cruzados que você finge esconder. O sol queima e se esconde, as sombras nos beijam, o crepúsculo procura você e é impossível não ver o que não mais se vê em você...

Tudo que morre
Fica vivo na lembrança
Como é difícil viver
Carregando um cemitério na cabeça
Mas antes que eu me esqueça
Antes que tudo se acabe
Eu preciso

Eu preciso, dizer a verdade...

E, morto, ele viverá em seus olhos que brilham para não chorar. As flores no cemitério germinarão nos jardins que você rega no campo imenso de seu quintal interior e você me falará muito sem nada dizer.

É impossível, é impossível
Esquecer você
É impossível
Esquecer o que vivi
É impossível
Esquecer, o que senti...
É impossível...
É impossível, é impossível
Esquecer você
É impossível
Esquecer o que vivi
É impossível
Esquecer, o que senti...

E a saudade dele estará em você e se repetirá em mim e em mim viverá você sem ele.

Tudo que morre
Fica vivo na lembrança
Como é difícil viver
Carregando um cemitério na cabeça
Mas antes que eu me esqueça

Antes que eu me esqueça
Antes que tudo se acabe
Eu preciso
Eu preciso, dizer a verdade...

E não esconderei que vejo você triste, porque a tristeza estará em mim também e o céu da boca terá o nome dele em todos nós, em todos nós da garganta, que, rouca, gritará o nosso silêncio.

Oh, Oh!
É impossível, é impossível
Esquecer você
É impossível
Esquecer o que vivi

É impossível
Esquecer, o que senti...
É impossível...
É impossível, é impossível
Esquecer você
É impossível
Esquecer o que vivi
É impossível
Esquecer, o que senti...

E a morte estará viva em cada lembrança e a tristeza irá sorrir em mim, em você, como um pesadelo bonito que demora a desaparecer.

*"Impossível" é uma canção da banda Biquíni Cavadão (Composição: Álvaro, Bruno, Sheik, Miguel, Coelho). 

2 comentários:

  1. Gostei Carlos ficou muito bacana. e o título, "Quando a música toca e o poeta retoca " nada a dizer.

    ResponderExcluir